Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Daisypath Anniversary tickers "... E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos,julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre." Miguel sousa tavares

Ikea- o novo amigo do homem

por samokal, em 21.11.15

marido.jpg

 

 De facto esta cadeia de lojas sobejamente conhecida, pode ser , se bem explorada , uma das melhores amigas do homem !

Por exemplo: No caso ( muito frequente ) do tipo que quer ir fazer aquele programa com amigos, num domingo que supostamente deveria ser ao lado da sua querida, mas a pouca flexibilidade dela não lho permite ter essa ousadia.

 

Como fazer!

- Querida , amanha de manhã estou a pensar que poderíamos ir ver as novidades ao Ikea , que te parece?

- Oh amor que ideia tão fofa, és um querido!

 No Domingo pegas nela e vais directo á loja , entras sem sequer parar no café, e passado 5 minutos de lá estar dentro dizes carinhosamente:

-Amor , vou só lá fora beber uma bica e já volto...

Sais e vais ter com o pessoal , desfrutas o dia á grande e á francesa, quer dizer, se calhar é melhor á grande e á portuguesa  porque estas francesices andam-se a tornar muito...va... explosivas!

 

No fim do dia voltas ao Ikea para junto da tua mais que tudo, seguramente ainda a encontras na secção das velas numa daquelas decisões da vida dela : vela rosa ou vela amarela?

 

Dás um beijo e dizes :- voltei amor !  ela seguramente te vai dizer :- já???  não queres ir beber outro enquanto eu vejo o resto da loja descansada .... nisto deve estar a passar o aviso de fecho !

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sorrio

por samokal, em 01.11.15

068.JPG

 

Sorrio, sorrio muito, talvez porque acredite que o  sorriso esconde lágrimas que, apesar de secas e sem forma, não deixam de cair. 

Calo-me, calo-me porque acredito que o silencio das palavras oculte um interior ruidoso, desassossegado!

As poucas Palavras que vão escapando, calmas e doces, tentam camuflar a revolução que vive nos pensamentos.

 Apenas os olhos  tristes, sem cor , revelam um envergonhado pedido de ajuda que vêm de dentro, dum estranho local onde se escondem todos os sentimentos, que vive de forma completamente livre , não deixando ninguém interferir na sua vontade própria .

Nada abafa a verdade existente no olhar , a sua transparência põe a descoberto tudo o que os restantes sentidos tentam encobrir!

Desde que nossos olhares deixaram de se cruzar que o meu ficou sem sentido de viver , que lhe faltou a luz.

Agora vivo irado com o destino , que nos afastou, zangado com o rápido desfolhar das paginas no calendário, com o súbito aceleramento dos ponteiros deste relógio que não pára, que me tornou em ausência de conteúdo, em fuga de vida !

Vida , olho agora para ela como um palavrão, ela que tanto me deu, mas também ,lentamente e sem eu dar por isso, me foi esvaziando, me tornando em nada !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sim...

por samokal, em 06.10.15

 

download.jpg

 

SIM... acredito que para ti ainda monto um cavalo branco,

que continuo a ir em teu encontro de espada em riste ,  

para te salvar  dessa torre onde vives aprisionada.

Sim , sei que continuas á espera que te segure e  prenda em meus braços,

de sentires a minha respiração, o acelerar do meu peito.

sim... sei que não desististes do sonho , vês em mim muitas virtudes que te encantam !

 

Mas sabes... muito do que sou devo-o a ti , foste tu que me embelezaste e me tornas-te melhor do que alguma vez fui.

vivi a minha vida esperando que algo assim tivesse acontecido mas agora desisto de ti .

Os nossos planos nunca passaram de um esboço, não abriste sequer a janela para que te pudesse pegar !

Todas as minhas esperanças se foram perdendo pelo caminho e o destino nunca esteve afinal á vista .

agora resta-nos o silencio da distancia , o amargo do fim .

Mas sabes ... nos meus olhos, eu não vejo mais ninguém, somente tu  despertas-te o melhor de mim. 

Não há nenhum outro amor como o nosso amor e só ao pé de ti fui completo.

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Talvez seja maturidade

por samokal, em 17.09.15

images.jpg

 

   

Talvez seja maturidade perceber que nem sempre se deve decidir pelo que é melhor para o nosso coração, porque por vezes não é o melhor para a nossa vida.

  Talvez seja maturidade perceber que o amor é o mais importante da vida, mas nem sempre é o suficiente para se viver.

Talvez seja maturidade perceber que algumas pessoas estão na nossa vida no lugar errado ,que o amor nem sempre é carnal .

 Talvez seja maturidade esquecer tudo o que escrevi antes, e viver a vida sem pensar muito no que deve ser mas sim no que se está a sentir !

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cenas de gaja

por samokal, em 10.07.15

Para um gajo que continua a manter intactas todas as propriedades que o tornam num alfa dominante, é um exercício de grande dificuldade compreender o fascínio  das mulheres por unhas...

  Mas que raio de loucura é esta que elas têm, por algo que se não nos chamarem a atenção nem sequer percebemos que foram pintadas , quanto mais cortadas ,arranjadas , esticadas , escovadas...

 Elas perdem horas a tratar daqueles pequenos apêndices, e muitas mais ainda a compara-las com as das amigas  e a falar sobre o assunto .

 Supostamente as mulheres arranjam-se para seduzir um gajo , ou no mínimo para se fazerem notadas, mas verdade seja dita nunca me apercebi de nenhum comentário masculino para tal parte da anatomia feminina. 

Assim de repente não estou a imaginar dois gajos a mancar uma presa e a fazer comentários do tipo : "Aquelas unhas deixam-me louco" ou ainda " que grandas unhas !"

Eu sei que os homens saíram limitados de origem á condição de apenas discutirem bola,carros e gajas  mas ainda assim... que raio vem a ser isto?

Há tipos que até já adaptaram uns "chips" de rendimento e atingem patamares em que conseguem discutir até cenas de cremes e depilações mas unhas... isso é muito!

A única vantagem que vejo , pelo menos no verão que é época de defeso futebolístico , é que  nós (gajos) ficamos por vezes sem assunto e para elas isto pode até servir de desbloqueador de conversa:  imagino uma mesa de gajas sem assunto e de repente uma pode sempre perguntar: - Isso são unhas de gel , gelinho ou gelax ?  e têm assunto para o resto do mês!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Longos são os dias

por samokal, em 22.01.15

images.jpg

 

Longos são os dias chuvosos e sombrios , esta fraca força que existe em mim deixa de me permitir sonhar. 

Longos são os dias de solidão ,  a imensidão do vazio toma conta de tudo que é meu. 

Longos são os dias em que a mente vagueia por todo o lado, mas em nenhum encontra paz. 

Longos são os dias em que a dor me corta a mais profunda réstia de esperança.

Longos são os dias em  que a espera se torna na única opção, único caminho!

Longos são os dias em que o amanhã está tão distante, e do ontem já nada resta!

que pesado se torna o eu , que saudoso se torna o nós...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obscenidade

por samokal, em 06.10.14

 

Obscena esta mente , que não mente , apenas sente !

sincero e livre pensamento ,que causa tanto tormento 

desejo carente , mas sempre presente 

que apenas tolero ... não fosse ele tão belo!

liberta-me desta prisão, contida paixão...

mostra-me o caminho , não me deixes sozinho 

meu corpo ardente , vive o presente !

não te mintas , basta apenas que sintas .

corpos colados , olhares enfeitiçados 

vivam de verdade , com toda a liberdade 

ama-me com delicadeza, tu... minha princesa 

torna-nos realidade , sê a minha obscenidade!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afinal o tamanho importa ...

por samokal, em 21.02.14

Eis uma das grandes questões da humanidade, desde sempre que homens se questionam se afinal as mulheres acham que tamanho é importante,  se as grandes são afinal melhores.

 Eu também não fujo á regra e tornei-me mais atento,  comecei a perguntar descaradamente , até ás minhas amigas, sobre as suas preferências , é importante saber, até porque a minha é grande...

 

  Bom.. de facto, e ao contrario do que eu pensava, a maioria delas não gosta das grandes , umas dizem que magoa , outras dizem que é desconfortável ...  há sempre um ou outro caso que até preferem ela enorme  mas muito poucos casos.

 

A minha é crescida mais por uma questão de preguiça , e não é que seja assim tão grande...geralmente mantenho sempre aquele aspecto de 3 ou 4 dias .  Cortar a barba é algo que nunca gostei de fazer e acaba por se tornar uma constante andar com ela por desfazer !

 

Pelos vistos fico a perder em aparencia...

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lê e reflete

por samokal, em 16.02.14

"Nós bebemos demais, gastamos sem critério. Conduzimos
rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados, lemos muito pouco, vêmos Televisão
demais.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.

Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos
freqüentemente.

Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.

Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a
rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas
não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos
menos; planejamos mais, mas realizamos menos..

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais
informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos
comunicamos cada vez menos.

Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta;
do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e
relações vazias.

Esta é a era de dois empregos, vários divórcios, casas
chiques e lares despedaçados.

Esta é a era das viagens rápidas, fraldas e moral
descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das
pílulas 'mágicas'.

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na
dispensa.

Uma era que leva essa carta até ti, e uma era que te
permite dividir esta reflexão ou simplesmente clicar
'delete'.

Lembra-te de passar tempo com as pessoas que amas, pois elas
não estarão aqui para sempre.

Lembra-te de dar um abraço carinhoso aos teus pais, a um amigo,
pois não lte custa um centimo sequer.

Lembra-te de dizer 'amo-te' à tua companheira(o)
e às pessoas que amas, mas, em primeiro lugar,  ama-te...
 ama-te muito.

Um beijo e um abraço curam a dor,
quando vêm de lá de dentro.

Por isso, valoriza a tua familia e as pessoas que estão ao
teu lado, sempre. "

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Casamento

por samokal, em 11.12.13


Novos tempos , novas necessidades, novos conceitos, novos comportamentos!

 

Com o evoluir da vida as pessoas vão gerando uma mutação nos seus hábitos, cada vez somos mais exigentes, queremos sempre mais e melhor.

 

A percepção cada vez mais assimilada de que a vida é só uma, temos que vive-la ,leva a que os relacionamentos sociais , afectivos ou mesmo profissionais sejam hoje em dia completamente diferentes daquilo que foram no passado.

 

O casamento é um dos grandes exemplos . Houve um tempo que se casava por conveniência, interesse politico , económico ou familiar, o amor não era importante , acabaria por se criar com o tempo, ainda assim se não acontecesse  a rotina tornaria o casamento uma ligação eterna !

Outra época foi caracterizada pelo casamento fruto do amor , aquele que se sente em todo o esplendor , mutação lógica e consequente da paixão, Mas a eternidade deixou de ser para sempre,  é eterno até acabar , tudo é mais rápido e agora a velocidade proporcionou-nos saber até quando dura o que é eterno .

  Do amor vêm a habituação , a amizade , o companheirismo , cumplicidade...tudo sentimentos necessários num casamento, o problema é que o essencial acaba por morrer: o amor , a  paixão , o tesão! Sem se aperceberem os cônjuges definhavam , o coração deixava de sentir aquelas acelerações que nos fazem sentir vivos ,  mas o compromisso era então um contrato irrasurável !

 

Nos dias de hoje vive-se intensamente, tudo passa a uma celeridade estonteante, precisa-se estar em constante movimento, logo a chama da paixão têm que ser uma constante, a adrenalina da conquista , o pulsar da novidade  é a droga que alimenta o ser do seculo XXI.

O matrimónio acaba por ser um reflexo disso mesmo , sendo uma das primeiras vitimas do Homos Exigente.



PS:Apenas uma das teorias e não de forma geral 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Passaram cá ...

counters


Mais sobre mim

foto do autor





Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D