Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Daisypath Anniversary tickers "... E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos,julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre." Miguel sousa tavares

Segundo dia- A chegada a Tabernas

por samokal, em 30.04.17

Segundo dia de run começa cedo com o pequeno almoço em belmaz, apesar da difícil compreensão entre dois povos, supostamente, irmãos, até se conseguiu comer uma bela torra e uma espécie de galão a um preço bem em conta.

O hostal Javi , onde ficámos hospedados, não tinha esse serviço, em compensação arranjou uma garagem para deixarmos as motas abrigadas e em segurança.

18268504_1560945093939940_1565232961313080397_n.jp

 

 

A primeira tirada foi de 140 km até umas bombas algures no meio de nenhures, atestar maquinas um pouco de conversa sobre algumas incidências do trajecto e novamente para a estrada.

18198703_1391592700887128_3600865502869989380_n.jp

 

 

Paisagens deslumbrantes, estradas a perder de vista e quase não se vêm sinais de vida.

Mais 130 km e nova paragem , estamos na serra nevada, alguns picos ainda com neve servem de fundo a paisagens com certeza tiradas de algum filme.

 

Aproveitamos para almoçar e desentorpecer as pernas.

18199523_1391566720889726_2663845189638489093_n.jp

18221761_1391566607556404_1037550296144023728_n.jp

 

 

A viagem prossegue em direcção a Almeria, as  serras começam rapidamente a se transformarem em desfiladeiros e desertos, sinal que nos aproximamos do deserto de tabernas , o nosso destino.

Conseguimos circular bastante tempo sem nos cruzarmos com qualquer veiculo, se por um lado é mesmo de uma liberdade enorme , por outro lado, se juntarmos a esta solidão uma imensa vastidão ao alcance dos olhos, é assustador pensar que se acontece alguma coisa não haverá nada nem ninguém por ali  para nos socorrer.

18268365_1391565924223139_281516289941764897_n.jpg

 

 

Chegados a tabernas , encontramos um hostal simpático e fomos jantar ao route66, um bar tipicamente americano, onde nos serviram uns belos hambúrgueres.

18157869_1560945000606616_7008893081480918290_n.jp

18222078_1560949443939505_7224696540547927898_n.jp

 

 

 

Amanhã é dia de conhecer os estúdios onde gravavam os westerns e descansar um pouco.

 

Trajecto do dia :

Belmez- Córdoba-Jaen- séron- Velefique- Tabernas  cerca de 470 km

Até amanhã

18157880_1561068053927644_7972384482231054103_n.jp

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Primeiro dia

por samokal, em 29.04.17

O grande dia chegou, a malta combinou as 9.00 da manhã e ninguém se atrasou.

Carregámos a carrinha, tomamos o pequeno almoço e pusémo-nos á estrada.

18156886_1559635037404279_1382583025328131816_n.jp

 

 

A chuva esteve sempre a ameaçar,mas não nos impediu de ir para esta viagem.

Partimos em direcção á Ponte Vasco da gama , saímos pelo Montijo para fazer o percurso todo em nacional.

Quilómetros começaram a passar e a passagem por vendas novas abriu o apetite e em Montemor tivemos mesmo que fazer a paragem para o almoço: hoje foi  atum, feijão frade e ovo.

18199570_1390378971008501_8770941717387211047_n.jp

18194736_1559635190737597_1192677655615361471_n.jp

 Estômago mais confortado e novamente alcatrão pela frente, a chuva andou sempre a ameaçar e as nuvens negras que se viam eram sinal disso mesmo,  piso molhado também foi indicio de que ela passou antes de nós, mas felizmente conseguimos levar a jornada ao fim sem um pingo.

Decidimos pernoitar em Belmez,depois de 440 km andados nos nosso ferros!

O primeiro dia foi de grande convívio, viajar com amigos de infância é único.

amanhã é outro dia , outra tirada...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

É já amanhã

por samokal, em 28.04.17

4 homens

3 motas

1 carro

2200 km

8 dias

2 países

Muita liberdade

 

easy-rider-big-pic-1024.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

Samokal, 10 anos no sapo.- A entrevista

por samokal, em 25.04.17

E-  Ola samokal , antes de mais nada os parabéns pela primeira década no sapo blogs. 

    Como viste aqui parar?

 

S- Obrigado, passaram num instante estes 10 anos, parece que ainda há pouco estava a escrever o meu primeiro post e já passou uma década.  Vim para o sapo porque tive uma decepção com um outro blog que tinha antes deste, numa plataforma que deixou de existir, e consequentemente tudo o que lá tinha deixou também de ter acesso!

 

E- E porque decidiste vir para o sapo?

 

S- Depois daquela tamanha decepção não desisti da blogosfera, no entanto achei que deveria iniciar um projecto numa plataforma mais segura, que não corresse o risco de desaparecer de repente.Cheguei então ao blogspot e ao sapo, decidi pelo nacional !

 

E- Então qual era a ideia que tinhas para o teu blog, escrever sobre o quê?

 

S- basicamente era um seguimento do que já fazia antes, um espaço para escrever sobre tudo, daí " mazorca de assuntos"

 

E- Os teus amigos sabem que és blogger, costumam ler-te?

 

S-  Alguns amigos sabem, embora nem sempre tenha sido assim , sei que alguns me seguem assiduamente, outros nem por isso!

 

E- Nem sempre foi assim , quer dizer que houve uma altura em que ninguém sabia ?

 

S- Houve , no inicio era um espaço pessoal, que usava para me expressar sem censura ou limitações .

 

E- Quer dizer que passaram a haver ?

 

S- Na verdade há sempre limitações na escrita, nunca escrevemos tudo o que pensamos, no entanto se escrevemos para um blog em que os supostos leitores são desconhecidos, fisicamente falando, é mais fácil expressar-nos livremente. A partir do momento que comecei a ser seguido por amigos passaram a haver algumas coisas que deixei de escrever aqui.

 

E- Então já houve uma grande mudança no tipo de escrita?

 

S- A vida é mudança, é crescimento, a pessoa que era há 10 anos já não existe, agora sou uma outra pessoa que ainda mantém muitas coisas daqueles tempos. Isso reflecte-se no que escrevo.

 

E- Quais as grandes mudanças nestes 10 anos?

 

S- Nos blogs do sapo, assim como nos blogs em geral , existiu um grande crescimento, uma maior visibilidade. Ser blogger está na moda, alguns bloggers tornaram-se figuras publicas pelo que escrevem e algumas figuras publicas tornaram-se bloggers.

No meu caso pessoal houve também um grande crescimento( na minha maneira de ver)  acho que hoje escrevo um pouco melhor e tornei-me um melhor leitor!

 

E- Costumas acompanhar outros blogs?

 

S- Obviamente que sim, penso que ser blogger é escrever, mas também visitar os "vizinhos".

Ler os outros faz-me melhorar, dá-me mais conhecimento, mas sobretudo diverte-me, informa-me ....emociona-me!

E a vida é sobretudo emoções!

 

E- dando uma vista de olhos pelo teu blog , rapidamente se percebe que é bastante intimista, pessoal e falas muito de emoções...

 

S- Realmente dou por mim a falar maioritariamente de mim e sobre os meus fantasmas, sonhos, emoções ... Mas nem sempre assim foi, penso que são fases,  a única ligação entre todos os posts é realmente serem auto terapêuticos, penso que é essa a definição do meu blog:- a minha terapia!

 

E- O que ambicionas ainda com o teu blog?

 

S- nunca pensei nisso, acho que não se trata de ter um objectivo traçado. Gosto de escrever, sempre gostei, mas nunca tive muita vocação para pôr em palavras tudo aquilo que me vai na cabeça. Há claro uma grande evolução nesse sentido, no entanto quando leio outras pessoas sinto-me pequenino, talvez almeje conseguir escrever coisas bonitas como aquelas que leio!

E-Obrigado por partilhares mais um pouco de ti, desejo-te então que continues a escrever e que cresças como desejas, daqui a 10 anos falamos outra vez!

S- Espero não ser preciso tanto tempo, mas estarei por aqui certamente !

Autoria e outros dados (tags, etc)

O cidadão

por samokal, em 24.04.17

O cidadão português têm cada vez mais noção dos seus direitos, está cada vez mais atento ao que se passa em seu redor, e luta cada vez mais por aquilo que aparentemente já está conquistado .

O peão sabe que a passadeira é uma extensão do passeio, uma espécie de "passerelle"  para desfilar lentamente á frente dos carros parados, aguardando a sua passagem!

O peão sabe que nessa passadeira não é permitida a passagem de bicicletas montadas, se os ciclistas o quiserem fazer terão que se apear do seu veiculo e passar á mão, sabe também o peão que não é permitido o uso destes veículos em passeios, promenades ou qualquer outro tipo de espaço destinado a andar a pé!

Portanto sempre que algum desses criminosos ciclistas o faça, será alvo de verdadeiros protestos que envergonham muitas manifestações tele visionadas!

O ciclista conseguiu por sua vez adquirir muitos direitos , e se os adquiriu há que usa-los: vias exclusivas , circular lado a lado na via publica, igualdade na regra da prioridade etc.

 

No entanto o ciclista não prescinde de circular por todo o lado , quando o semáforo estiver vermelho passa pelo passeio, quando quer ir para o outro lado vai pela passadeira e quando circula em via publica não se encosta á direita porque têm o mesmo direito que os outros veículos, eles que aguentem...

 

Ai de quem ponha em causa a sua conduta, são o exemplo de cidadania e os automobilistas são o inimigo numero 1, regra geral armas apontadas a si, conduzidas por animais de mão colada á buzina e a língua afiada com palavrões dignos de qualquer dicionário de más maneiras.

Há ainda os automobilistas, aqueles seres que aparentemente são pessoas normais,  mas que se transfiguram quando se colocam dentro da sua caixa de segurança, vulgo automóvel.

Não há nada mais irritante para o automobilista do que os tipos que andam a pé e que se lembra de utilizar a passadeira em modo câmara lenta , ou  os gajos das bicicletas que só andam na estrada para atrapalha-los , andando devagar propositadamente de forma a irritar os donos da estrada...

 

O grande problema é que o peão, o ciclista e o automobilista são a mesma pessoa em contextos diferentes, a mesma pessoa que apenas muda a forma como se desloca,  que rapidamente muda de "chip",  esquece-se rapidamente  da sua anterior condição,só interessa a actual, isto porque raramente consegue olha para alem dos 20cm2 do seu umbigo, e quando o faz é para ver os erros do próximo.

 

 

O cidadão português é cada vez mais uma pessoa com noções de cidadania, no entanto cada vez com menos  civismo,

olha cada vez mais para si no momento actual, sem olhar para si no seu todo, no lugar do outro...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um mundo de surdos

por samokal, em 19.04.17

 

maos falam.jpg

 

Cada vez temos mais acesso a informações sobre as pessoas, mas cada vez as conhecemos menos!

Talvez as redes sociais se tenham tornado tão populares porque dão oportunidade de se mostrar o que se quer e de vasculhar ver a vida dos outros sem se ter que perguntar.

 Estás-se a perder as belas conversas olhos nos olhos,  quem saiba conversar,  mas sobretudo quem saiba ouvir.

Cada vez mais cada um vive na sua redoma, ouve-se e preocupa-se com os outros porque parece bem, é politicamente correcto, mas na verdade já quase ninguém têm a capacidade de ouvir, apenas se cala por um pouco enquanto falamos ...

Estamos a caminhar para um mundo de surdos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Partilha

por samokal, em 17.04.17

Há textos que de tão belos não se podem deixar perder no tempo, não se podem dar ao luxo de cair no esquecimento.

há textos que embora exprimam um momento,  são bem maiores que o momento, que embora pequenos no seu tamanho têm uma grandeza na sua mensagem,

merecem assim se espalhar de forma a poder tocar mais vezes, mais almas!

Assim hoje partilho um texto de uma amiga, sem consentimento, porque o acho lindo , porque lê-lo apenas eu não é suficiente, porque deixa-lo ser apagado para todo o sempre não é aceitável...

Partilhá-lo é um acto de egoísmo, ao fazê-lo estou a guarda-lo aqui  para mim , para sempre que quiser voltar a lê-lo!

 

17796222_1350381588317320_9029203946742316417_n.jp

 

"Engana se quem pensa que só a VIDA dá VIDA... A VIDA nos dá existência...
O abdicar pela perda, a eminência do perigo, da incerteza do amanhã, não como SER mas qualidade do SER, isso nos torna conscientes estranhamente do PLENO da VIDA...
Do que AMAMOS, do que SENTIMOS, do que QUEREMOS visceralmente, do que RESPEITAMOS em NÓS e no OUTRO...
AMO SENTIR com uma ambiguidade constante, porque só quem SENTE com ALMA, SENTE com todos os SENTIDOS e partes de um corpo que VIVE porque EXISTE e SENTE...
SIMPLES ASSIM..."

A. Cereja

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ainda o atentado...

por samokal, em 16.04.17

  Muito se têm falado sobre os atentados que se têm generalizado por essa Europa fora.

  Bem sabemos que no médio oriente eles são bem mais vulgares e com contornos bem mais trágicos, mas como é bem mais longe parece que não nos afecta assim tanto....

  Os terroristas não olham a meios nem tão pouco se importam com quem sofre as consequências , as vitimas são para eles apenas danos colaterais!

 Já tivemos conhecimento de atentados em locais públicos, transportes colectivos,  aeroportos, museus, mercados, salas de concerto,festas,supermercados , jornais, estádios de futebol e agora mais recentemente até um autocarro de um clube de futebol...

  Parece não haver mais local seguro, parece não haver mais onde nos possamos esconder, o medo começa a fazer parte do dia-a-dia dos cidadãos de bem!

 Uma questão se impõe. -  Como fazer para acabar com isto ???

A resposta está longe de ser fácil, está até longe de se conseguir uma resposta!

Uma coisa é certa, a Europa nunca voltará a ser o que já foi , a humanidade tal como a conhecemos deixou de existir, o mundo tornou-se um lugar muito mais inseguro!

Infelizmente o mundo que deixaremos aos nossos filhos será bem pior do que aquele que recebemos dos nossos pais!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Não pertenço aqui"

por samokal, em 15.04.17

eu_nao_pertenco_aqui_a_obscuridade_camiseta-rdb4b1

 

" Não pertenço aqui"

Este é um daqueles pensamentos que me assola constantemente, dou por mim insatisfeito, incompleto, deslocado!

Isso leva-me a uma questão " afinal pertenço onde?" 

  A resposta, claro, é muito difícil ouaté  mesmo uma utopia,  talvez não pertença a lugar algum, talvez não me volte a sentir " em casa"

  Pertencer a um lugar não significa pertencer a um sitio, a um local físico,

até poderá ser, mas também poderá ser  uma pessoa, um estado de espírito, uma conjugação de local/emoção/ companhia...

 Não posso no entanto desacreditar-me, sei que um dia já me senti pertencer ali, já um dia me senti plenamente familiarizado comigo, com os outros , com tudo...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A curva da idade

por samokal, em 11.04.17

20170410_194930.jpg

 

 

 E quase sem nos apercebermos, a vida vai passando,  a cada dia ficamos mais longe do que fomos,

mais longe do que desejámos ser!

  A vida vai passando e nos mudando,  torna-nos alguém tão diferente de quem já fomos que por vezes é difícil encontrar pontos de contacto!

  Ao passar não só nos acrescenta, mas sobretudo nos tira, vai-nos enchendo de experiências, de vivencias e momentos ,

mas esvaziando de algumas pessoas, de algumas faculdades, vai-nos roubando o nosso tempo aqui!

 Há uma altura, que quase sem aviso nem uma marca definida, passamos a olhar mais para trás do que para a frente, 

damos por nós perdidos em recordações, em vez de absorvidos em projectos, e um dia pensamos: " Pôrra, o melhor  já lá foi"

 Ainda estrebuchamos um pouco, tentamos incutir-nos um pouco de fé e esperança, criar novos horizontes , mas rapidamente voltamos a distrair-nos com o que já lá foi...

 Há quem lhe chame a crise dos 30,  dos 40 ou dos 50, mas não passa da forma como cada um consegue viver com o acumular da idade, com o surgimento dos primeiros sinais de que já deixámos de ser aqueles meninos que passavam o dia a correr, com rasgados sorrisos no rosto, que a cada noite de descanso tinham direito a um novo "restart" que os fazia amanhecer novamente fresquinhos para mais um dia de novas aventuras!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Passaram cá ...

counters


Mais sobre mim

foto do autor





Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D