Daisypath Anniversary tickers "... E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos,julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre." Miguel sousa tavares
Mazorca d' Assuntos
Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
A escolha

hiking-1031628_12801.jpg

 

Percorri os caminhos da vida a correr, cheio de pressa, mas sem qualquer rumo

Deixei muitas vezes de apreciar a paisagem , parar para viver alguns momentos

Agora percebo que o destino não importa assim tanto , o que nos enriquece é o que encontramos no percurso

que maior riqueza é encontrar quem nos acompanhe em cada detalhe, que nos traga brilho nas noites escuras, 

que seja a nossa sombra nos dias quentes, nosso amparo quando nos sentimos ir abaixo

Não se vive de aplausos, não se vive envolto em sonhos , não se vive com o amor de uma noite 

se não nos focarmos no essencial, acabamos por perder o que temos. 

De tanto correr contra o tempo percebi o quanto deixei para trás, o quanto perdi a vida sem um motivo

estarei ainda a tempo de desacelerar, de olhar para todos os lados por onde passo ?

aproveitar cada cheiro, cada som , cada brisa na cara, cada chilrear do passarinho que brinca, indiferente á minha presença ? 

Estarei ainda a tempo de me lembrar de viver, de encontrar o meu motivo ?

Sei que já não sou como fui, já percebi que me enganei , que fui sempre eu que perdi 

Aprecio agora cada dádiva que me é concedida , tento dar na medida em que recebo, ou dar mesmo quando não recebo!

Difícil ou não , seguirei o caminho  de sorriso na face, agradecido por aqui ter chegado ,

por ter apreendido e por continuar aberto a aprender mais a cada novo passo!

Um novo futuro se define a cada escolha do presente 

espero que cada escolha seja um presente para o futuro!







samokal às 09:16
link do post | O teu contributo | Outros contributos (1) | favorito (1)
| | partilhar

Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
Passeio nocturno

20171210_010256.jpg

 

Jantar de natal, mais um, como tantos outros que preenchem esta época do ano.

Conversas trocadas, repasto ingerido e , inevitavelmente, ida para casa ainda cedo, para um sábado!

Noite fria e húmida, mesmo dentro do carro, a vontade de chegar ao lar e aquecer os pezinhos torna-se eminente.

Chegado a casa, estaciono mesmo ao lado da mota , que fica ali a olhar para mim com aquele ar de "vamos dar uma volta"

Rapidamente mudo de roupa e me coloco na estrada, o ar fresco que gela a face, aquece-me a alma.

Deambulo pela cidade, ora em locais onde a noite está bastante animada, ora noutros onde apenas o ronco da minha companheira quebra o silencio  da cidade.

Desfruto do prazer inexplicável de circular em duas rodas, enquanto vou observando os locais e as pessoas,

a assimetria que existe entre ruas tão próximas, a diferença entre o sossego de um miradouro da graça e o frenesim do cais do sodrè.

Em minha cabeça conjugam-se ideias, passam segmentos de momentos vividos.

Também grandes assimetrias nos estados de espírito se têm verificado,

um carrossel de emoções onde passei a habitar há algum tempo.

rapidamente deixo a cidade para trás e me faço á marginal, em direcção a Cascais.

Muda a envolvência , agora é mais estrada aberta, o ar fresco traz com ele o aroma a mar 

As curvas são mais alongadas e a vista mais aberta e privilegiada

talvez seja esta a mudança que agora quero também dar em minha vida 

novos horizonte , novos objectivos, clarificar o resto desta minha viagem!

A noite faz-se longa, e o sono começa a pedir o regresso a casa , aquela que não é o meu lar!

Um passeio, que como sempre, serve para limpar a cabeça e alimentar a alma.

 



samokal às 22:56
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Quinta-feira, 7 de Dezembro de 2017
Desenquadrado

Desenquadrado , sempre me tentei enquadrar em algo , sempre procurei os iguais

sem efeito percebi que nada do que vejo me faz sentido , nada do que conheço me é familiar 

nesta difícil caminhada , andei sempre em casas emprestadas, sem nunca me sentir no meu lar 

momentos de angustia chegaram , porque não me agrupava eu a nada , porque era tudo tão diferente de mim?

aqui e ali, lá fui encontrando alguns balões de oxigénio, portos de abrigo mais ou menos estáveis

mas rapidamente deslizei para fora desse conforto desconfortante , desse poiso instável e escorregadio. 

patinho feio me julguei , diferente que era dos outros , não sabia qual o meu lugar , tive medo que reparassem como eu não era igual aos demais 

então a luz chegou, iluminando a minha presença, afinal não é assim  tão mau esta minha desalinhada forma de ser 

não pertenço a nenhum nicho ,  muito menos a nenhuma maioria .

Sou apenas eu , e isso me faz único e inexplicável , me faz difícil de entender mas prazeiroso de conhecer

sou diferente entre os iguais , desalinhado e desenquadrado com os padrões estabelecidos.

so what ?



samokal às 09:07
link do post | O teu contributo | favorito (2)
| | partilhar

Quarta-feira, 6 de Dezembro de 2017
Momento

mid_160572_8084.jpg

 

Neste emaranhado de pensamentos sigo numa penumbra sem ocaso

A luz que tanto anseio está lá á frente , mas os tons cinza continuam a rodear-me como que um um castigo necessário.

Aceito este fado,sei que não poderei seguir em frente sem pagar a divida que acumulei ao longo dos anos

No entanto almejo sacudir este peso rapidamente, para poder seguir com a leveza necessária.

Devaneio louco, penso eu por vezes , recompensa tardia , julgo outras. 

A decisão tomada não é uma fuga para a frente, mas uma directoria de futuro.

A consistência daquilo que almejo é forte o suficiente para superar o que me retém o passo.

Deambulo pela minha historia e começo a perceber o sentido de todo este percurso,

julgo entender a razão do Inverno, sem ele a primavera não teria bases para poder florir seu encanto,

tornam-se nítidas as provações a que fui sujeito, as dificuldades que me obriguei a superar

serviram de base para o entendimento do caminho que agora se assoma á minha frente !

 



samokal às 23:44
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Terça-feira, 5 de Dezembro de 2017
Escolha

 

A-vida-na-encruzilhada.jpg

 

E cá estou eu outra vez numa encruzilhada , assim têm sido o meu percurso.

Mais uma vez terei de escolher por onde seguir, sabendo que essa escolha me levará para longe do caminho que sigo agora.

Todas as escolhas feitas anteriormente me foram levando para um carrossel de emoções e vivencias, que me traz experiência mas talvez não a sabedoria suficiente para estar agora mais preparado.

  No passado já segui o coração, umas vezes bem e outras mal, mas sempre com consciência de que tinha feito a escolha acertada, apenas as consequências foram as erradas.

  Decidi então colocar a razão a decidir o caminho, descobri que não é esse o meu destino, se eu sou feito de emoção , de momentos, de impulso, como poderá uma escolha contra a minha natureza ser correcta ?

  Agora o grande dilema, se seguir o coração deixo para trás a tranquilidade, a paz, o conforto,  estabilidade , deixo para trás um ritmo cardíaco constante e sem sobressaltos.

Se seguir o coração vou atirar-me de novo ao desconhecido, á procura, incerteza, reinicio, a um novo turbilhão de emoções , a ritmos desconcertantes... ou não!

 Para a maioria não haveria sequer escolha , era continuar o percurso conhecido, direito e alcatroado de novo.

Mas eu não sou a maioria...

 



samokal às 19:09
link do post | O teu contributo | favorito (3)
| | partilhar

Segunda-feira, 4 de Dezembro de 2017
Viagem solitária

Aproveitei este fim de semana de 3 dias para me meter na estrada, só eu e a minha mota.
Sem destino, sem horário, sem gps , com telemóvel em uso estritamente necessário. ..
Apenas o frio constante e o cheiro a lenha queimada das lareiras,libertada pelas chaminés das casas por onde fui passando, como fiéis companheiros. 
Uma experiência que me proporcionou cenários magníficos, aromas únicos e sensações indescritíveis. 
Sozinho no meu capacete fervilharam pensamentos, arrumaram -se ideias e definiram-se metas.

Sabe bem passar algum tempo connosco próprios, libertar-nos de tudo que torna os nossos dias completamente controlados.

 Apenas o ronco da mota me ligava a algumas das actividades feitas habitualmente, de resto, consegui-me libertar daquele aparelho que nos controla e marca a velocidade, o telefone, do relógio e das responsabilidades. 

Foi bom não ter pressa , não saber sequer onde iria passar ou mesmo parar, as paragens foram marcadas pelas necessidades básicas, não houve hora para comer , mas sim comer quando o corpo assim pediu.

As paragens para pernoitar foram escolhidas pelo frio que se tornou insustentável assim que a noite caiu, e a hora de partir de manhã foi regulada pelo acordar natural, sem despertador !

Uma experiência rica que espero repetir, pelo menos, um vez por ano.

20171202_155915.jpg

24550132_1720890894597399_448138089_n.jpg

20171203_124143.jpg

20171203_143853.jpg

24331148_1720890871264068_1631424606_n.jpg

20171203_152356.jpg

 



samokal às 21:46
link do post | O teu contributo | favorito (1)
| | partilhar

Quarta-feira, 8 de Novembro de 2017
O telefonema

Aparelhos-celulares-na-mesa.jpg

 

 

Embrenhado nos seus pensamentos, um homem de meia idade, pega mecanicamente no copo que se encontrava ao seu lado, dá um trago que o anestesia mais um pouco daquela vida que está longe de ser a que um dia desejou!

   Vários  momentos passam em sua mente, de forma confusa e rápida , saltitando entre distintas fases de sua existência!

  Toca o telefone,  como um despertador, tra-lo de volta á realidade, olha para a mesa onde o aparelho continua a entoar aquela melodia que já não consegue suportar, decide não atender, não lhe apetece, no entanto fica alerta, quem será a esta hora?

  Repara então que a televisão continua acesa, ali como silenciosa companheira, pela janela as cores que anunciam um novo dia começam a dar novos tons á sala, que agora parece imensa. 

  O telefone toca de novo, ele observa-o, como se conseguisse assim obter alguma informação, pega então nele, ruído que ficou curiosidade, não conhece o numero, o que lhe adensa ainda mais o espanto, intrigado atende ...

Mal sabia ele que aquele telefonema lhe mudaria o resto da vida...


tags:

samokal às 20:30
link do post | O teu contributo | Outros contributos (1) | favorito (1)
| | partilhar

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017
Estranho eu

oito-expressoes-faciais-de-humanos_1308-3084.jpg

 

Porque cada vez é mais difícil aceitar que uma pessoa fica triste quando as coisas correm mal ?

Que as pessoas ficam contentes quando as coisas correm bem ?

Que as pessoas expressam aquilo que sentem , o seu estado de espírito ?

Talvez porque cada vez mais  se tornam maquinas, seres sem sentimentos nem expressividade.

Talvez porque  preferem adoptar uma expressão que satisfaça todas as necessidades, que as mantenha " seguras"

Talvez porque é dificil expõr o seu estado de espírito!

Eu...Prefiro continuar como sou, triste e aborrecido porque tudo desaba á minha volta ,

alegre e divertido porque me sinto bem com as pessoas que me fazem bem ,

porque me delicio com as pequenas coisas da vida 

Bipolar, tripolar , quadripolar, chamem-me o que quiserem chamar ,

o grande problema não sou eu , são vocês, que olham para mim com esse olhar estranho,

de quem não consegue entender a minha forma de viver !

 

 

 



samokal às 20:35
link do post | O teu contributo | favorito (1)
| | partilhar

Bem vindos ao baile de máscaras

pin1.jpg

 

Bem-vindos ao baile de máscaras , ao mundo da fantasia!

escolha uma personagem , encarnarnem-na e mantenha-na. 

Jamais , sobre qualquer pretexto deixem cair a fachada, nunca mostrem a verdade.

Quem serás tu , quem será ele ?  Resposta difícil

A única certeza é que nunca é quem parece ser , quem melhor enganar  mais bem sucedido será .

Bem-vindo ao mundo "faz-de-conta"  onde se apontam aos outros as próprias falhas, 

Onde se apregoa ser aquilo que jamais se consegue. 

Neste mundo de fantochada  difícil é descobrir os verdadeiros.



samokal às 20:25
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Segunda-feira, 16 de Outubro de 2017
Aproximação aos "Entas"

 

"É uma vitória amarga mas conseguida. Amarga porque os anos caminham, calmos e descontraídos, mas eu não. Todos os dias há mais alguma coisa que me desagrada, uma ruga que se aventurou a aparecer, uma dor que ensina que existem mais ossos e músculos do que aqueles que conhecia ou uma má disposição que dispensava.

Consegui. E sei-o porque estou vivo e cheguei a esta idade que se diz ser de amadurecimento. É atraente com este adjectivo e nem todos conseguem.

Ficar pelo caminho é desagradável e mostra o quão impotentes somos nesta aventura que se chama viver. É uma vitória, suada, mas conseguida. Nada tem a ver com justiça mas a aleatoriedade tem estes segredos.

E agora faço o balanço de tudo o que aconteceu. Cheguei à meia-idade. SIM!! Se viver 80 anos já é uma quantidade considerável de tempo, logo, estou no meio. Se quero viver mais? QUERO, todos querem, mesmo que digam o contrário. Viver é um desafio constante, uma guerra que nunca mais termina e tenho de ir mudando de armas. Combater passa a ser a palavra de ordem.

Olhando para trás, sem ressentimentos nem nostalgias parvas, está tudo aquilo que construí, o que conquistei, aquilo que fui. Está a minha vida, os sonhos, as decepções, a caminhada na carreira profissional e a família. Os namoros que tive e o sabor doce que deixaram, as relações que terminaram mal e que, apesar de lamentar, nada mais pude fazer, foram tão suaves e doces.

A vida sonhada não é igual à vida batalhada mas tem sabor a limite pessoal e único.
Família, pedaço de mim que dei e que me retribuíram... células que me mudaram o pensamento e a vida, anseios e desejos que crescem e se revelam. O compromisso real sobre a existência de ter o que tenho. 
Amigos, a eles devo "os tais momentos", alegrias, tristezas, paixões, desilusões, o nascer e o por do Sol, calor, frio, vento e chuva no rosto. Momentos loucos ou relaxantes. A felicidade de um amigo entretém-me, satisfaz-me, alegra-me e delicia-me. Não me tira nada. E eles, devo-vos quem sou.

São águas revoltas mas sábias, que me banham, me benzem e me baptizam.

Quando deixa de haver interesse e gosto em estar neste caminho, nesta novela sem guião prévio e cheio de improvisos, é que se torna pernicioso. Deixar de "ser" pode ser uma hipótese mas eu é que sei como estou ou como me sinto.

Nada é fácil e envelhecer é tramado. É ter de aceitar que o sol nasce mas a sua luz já não é tão quente que me aqueça totalmente. É olhar para a lua e não ver os sonhos mas sim os “buracos” (o que não foi nunca concretizado, a frustração e a negatividade). Olhar para o lado escuro é mais óbvio e menos cansativo. Há que agir de modo assertivo e tornear o obstáculo, limar-lhe as arestas e perceber que tudo volta ao local de partida.

Nada é eterno e tudo se modifica. Tenho competências que vou adquirindo e desenvolvendo. O reconhecimento profissional é um valor que estimamos, mas neste mundo, é muito trabalhoso. Tenho de o trilhar com determinação e força de vontade. Nada de desistir. Até porque só estou a metade da vida. Nós somos o receptáculo mas não somos passivos, somos decisivos.

E o amor, os sentimentos, aqueles que são meus, próximos, íntimos, fazem parte desta receita de vida que é tão importante. Não falho, simplesmente as situações não acontecem como tinha planeado. Recomeçar, palavra derivada por prefixação. Não devia ser, está incorrecto. É uma sufixação, vem depois do nome, acrescenta-se. Vive-se após e não antes. Incongruências da língua que em nada se relacionam com a vida. Voltar a cometer erros, iniciar uma profissão, um relacionamento, etc... São tudo recomeços.

A vida é mesmo assim, linear, redonda, quebrada, angular e de muitas outras formas que se possam imaginar e viver. Se cheguei até aqui é porque mostrei competências. As surpresas ainda continuarão a aparecer, é certo, mas a tranquilidade que adquiri permite-me perceber que nada sabemos, que somos uns eternos ignorantes.

O que sei eu sobre a vida? Nada. Penso que sou especialista e quando ela decide fazer-me um teste-surpresa é que percebo que a matéria não estava estudada. Por muitas revisões que tenha feito, sai sempre aquela matéria que domino menos, aquele capítulo que estava sempre a saltar e que nem queria ouvir falar. E quando me sinto mais confortável, depois da formação contínua, quando me endireito, surge uma nova prova global que altera tudo sobre aquilo que dizia que já não podia acontecer. É um ciclo vicioso. Tenho de ser humilde para admitir que serei aluno toda a vida.

A gora sim, estou nos "Entas"

 

Autor desconhecido



samokal às 08:30
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Quinta-feira, 5 de Outubro de 2017
Significado do dia

Significado de Medíocre adjetivo De qualidade média, mediana; que não é bom nem mau: obra medíocre. Sem criatividade nem originalidade; banal: projeto medíocre. Característica do que é comum, ordinário, trivial: comentário medíocre. substantivo masculino Algo ou alguém que não tem grande valor intelectual. Quem não é capaz de realizar algo. Pessoa desprovida de talento ou que está abaixo da média.



samokal às 13:03
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Segunda-feira, 2 de Outubro de 2017
Apenas tu

ampulheta.jpg

 

 

Apenas o tempo me conhece. Conhece as minhas esperas, os passos mal dados e as quedas. 
Ele esteve ali, observador, a assistir a tudo, sem passar rapidamente quando eu o desejaria, e acelerando quando lhe pedi que parasse .
Só ele conhece as minhas dores e agruras, as minhas alegrias e vitorias!

Mas ele passa ficando e eu caminho, sem retrocesso, para um beco onde todos chegamos sem escapatória, ficando apenas ele, o tempo , para contar sobre a minha passagem.

 


samokal às 23:33
link do post | O teu contributo | Outros contributos (1) | favorito
| | partilhar

Terça-feira, 26 de Setembro de 2017
Vivo

 

tempo-envelhecimento.jpg

 

Pareço ter envelhecido uma eternidade desde que me vi ao espelho pela última vez,

tenho-me olhado todos os dias , mas ver-me realmente já quase me havia esquecido.

O que fiz de mim ?  Onde está o sorriso que nem precisava estar presente no rosto, pois  transbordava ate pelos poros!

Optei pelo lado confortável e apenas consegui perder-me , optei pelo lado tranquilo mas isso me deixa inquieto.

Eu não quero estar confortável e tranquilo, quero sentir-me vivo!

 



samokal às 08:37
link do post | O teu contributo | Outros contributos (4) | favorito
| | partilhar

Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017
Verão

australiaEndOfSummer2014.jpg

 

O verão é aquela altura do ano que nos permite desfrutar um pouco mais da vida,

dias maiores, tempo melhor , pessoas mais socáveis  e uma oferta mais diversificada.

Geralmente o fim desta estação chega com  grandes recordações, um sabor nostálgico por tudo que se passou,

abrindo sempre um sorriso nos lábios ao recorda-lo!

Este ano não foi assim, praticamente nem senti a passagem da estação rainha, foi num ápice que novamente comecei a sentir o fresquinho outonal me entranhar na alma , despertando-me para o acelerar do calendário.

A velocidade do tempo por vezes deixa-nos incapazes de criar pequenos lembretes para um momento , para um acontecimento, foi o que aconteceu...

 



samokal às 16:41
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Quinta-feira, 7 de Setembro de 2017
Cansado

images.jpg

 

 

Cansado... cada dia me sinto mais longe de mim , mais longe do que eu desejo ser, e mais perto daquilo em que a sociedade me quer transformar. 

  Caminho tenebroso este , em que se perde o que mais se deseja, e se encontra quilo que nos  traz apenas aparente conforto.

 

Quem disse que eu quero conforto ?   quem disse que eu quero entregar-me á rotina,apenas tirar paginas do calendário ?

Não quero perder o meu lado selvagem e inconformado, quero continuar a debater-me por vivencias e por experiências, ainda estou vivo e não desisto tão facilmente.

Lembro-me do menino que era há uma década atrás e do quanto a minha vida era desânimo.

Lembro-me do quanto ainda consegui ser feliz, do quanto vivi, de ainda ter encontrado o verdadeiro amor...de o  ter perdido...

Deslumbrado... talvez tenha sido eu...um menino que de repente descobriu que a vida é Linda, que existe alguém que foi criado para nos completar, que a natureza, Se necessário, nos tira da nossa zona de conforto para a encontrarmos, no entanto, uma vez a conexão feita é de nossa responsabilidade solidifica-La... mas por vezes faltam-nos as capacidades, as forças, para o fazer...

Agora estou cansado, não por ter chegado ao fim, mas por ter lutado tanto. Por não ter conseguido encontra o caminho, que embora acidentado, me daria sentido á vida.

Cansado por me ter deixado envelhecer sentado num sofá, assistindo os dias a passar, E chorando por aquilo que deixei ir...  



samokal às 23:46
link do post | O teu contributo | Outros contributos (1) | favorito (1)
| | partilhar

Quinta-feira, 31 de Agosto de 2017
Vejo-me ao espelho

espelho.jpg

 

Vejo-me ao espelho e não me reconheço, 

revejo-me apenas em ténues lembranças de tempos que já lá vão 

desvaneceram com o passar do tempo,

 o que resta começa a ficar num patamar que trás a duvida: foram realmente verdade ou não.

 Vejo-me ao espelho e percebo o quanto envelheci, o quanto a vida me tirou 

percebo que aos poucos me fui entregando, fui deixando de lutar contra o destino

acomodei-me e perdi a ambição.  Os  sonhos ...esses, foram morrendo, e já fazem parte de um passado cada vez mais distante.

Vejo-me ao espelho e apenas observo um homem sem brilho 

que decidiu viver nos tons cinza porque é mais seguro, porque cansa menos , porque não doí tanto !



samokal às 22:32
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Quinta-feira, 27 de Julho de 2017
Momentos

20170727_225615.jpg

 

 

E porque a vida são pequenas fracções, são instantes.

E porque a vida é do agora e do ontem , e do agora que revive o ontem 

E porque por vezes temos o vinho como nosso melhor companheiro 

E porque por vezes o vinho está cheio de historias ...

 



samokal às 23:34
link do post | O teu contributo | Outros contributos (2) | favorito
| | partilhar

Segunda-feira, 10 de Julho de 2017
O fogo

20218521_DyqCN.jpeg

 

O fogo, esse malandro , sempre que brinquei com ele acabei por me queimar,no entanto não lhe resisto...

Talvez seja o desafio, o perigo ou apenas porque quero saber como é, mas há nele algo que me atrai...

Há fogos que consegui controlar, mas uma vez apagados perdem toda a sua sedução. Há fogos que continuam bem acesos , sua chama continua a perturbar-me, tento resistir --lhe , fingir que não está lá, mas a sua chama. ..chama-me! Talvez crescer seja perceber que o fogo é uma força demasiado grande para a defrontar,

talvez seja perceber que as queimaduras não compensam tudo o resto...

Mas por agora o fogo está ali, a chamar por mim !



samokal às 21:44
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar

Quarta-feira, 21 de Junho de 2017
Somos pequenos momentos

flowerinchildshand.jpg

 

 

Somos pequenos momentos... passamos a vida a adiar tudo o que é importante, na esperança que iremos ter tempo para o fazer mais tarde, mas por mais que queiramos acreditar que a vida é longa, que nos dá tempo suficiente para amar mais tarde , para expressar ás pessoas o quanto são importantes para nós , para partilharmos um pouco do nosso tempo com quem nos faz sentir vivos, a verdade é que ela passa rápido, ele não espera por nós!

Somos pequenos momentos... por isso devemos nos entregar por completo, devemos amar a sério, devemos abraçar quem gostamos , rir muito, reunirmos-nos com os amigos , com a família, perdoar, partilhar-nos ...

A vida têm que ser vivida em plenitude, não se pode perder tempo com o acessório, temos que pegar em cada momento e faze-lo especial , porque só nós temos a capacidade de escrever a nossa história.

Somos pequenos momentos, momentos que somos nós que decide se ficam ou se desaparecem, momentos que decidimos se arriscamos ou se desistimos , se rimos ou se choramos , se somos felizes ou tristes , se corremos atrás dos sonhos ou se simplesmente nos conformamos..

Somos pequenos momentos,  num momentos estamos bem e no outro podemos já cá não estar ...

 

 



samokal às 18:06
link do post | O teu contributo | favorito (3)
| | partilhar

Terça-feira, 20 de Junho de 2017
Pausa

 Este é o meu espaço, o meu ponto de reflexão, de exteriorização.

Este é o local onde estão guardados sentimentos, momentos , emoções, onde cada texto representa mais do que um simples texto , que cada frase têm uma historia por trás dela...

Houve alturas que foi a minha terapia diária , outras foi um local de transmissão de mensagens, outras ainda,  apenas local de desabafo.

Por vezes percorro o meu blog , relendo textos passados, recordando a força que me fazia mover os dedos enquanto teclava, depois olho para o agora , para a total desinspiração , para a ausência de assunto...

Fico triste, fico pensativo...  afinal o blog era a " menina dos meus olhos" e agora... bem agora parece que a menina continua aqui, mas a nossa relação esfriou!

Não quero acabar, não quero virar esta página, mas ao mesmo tempo reparo que o  caderno em branco continua ali, com a caneta por perto, antes olhava suas folhas imaculadas e algo me fazia preeche-las , dar-lhe côr , dar-lhe vida!

Agora não, agora são apenas folhas em branco cheias de pó, um pó que se acumula sem que eu tenha sequer vontade de o limpar ... será o pó a contar uma historia por si mesmo? talvez... a historia de um fim que se começa parecer iminente....



samokal às 17:51
link do post | O teu contributo | favorito
| | partilhar


Passaram cá ...
counters
pesquisar
 
ultimos posts

A escolha

Passeio nocturno

Desenquadrado

Momento

Escolha

Viagem solitária

O telefonema

Estranho eu

Bem vindos ao baile de má...

Aproximação aos "Entas"

Significado do dia

Apenas tu

Vivo

Verão

Cansado

Vejo-me ao espelho

Momentos

O fogo

Somos pequenos momentos

Pausa

Vocês são incomparáveis

O tempo passa..

Os meninos de hoje

Letra do dia

Carta de reclamação sobre...

Coração

Viver

Dia 9 -Chegada

Dia 8 Vila nova de Milfon...

Dia 7- faro

Tralha antiga

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

.
subscrever feeds